Aprendizagem Social: Como incorporar no mercado de trabalho?

 

O meio social contribui imensamente para a formação de quem somos. O tempo todo recebemos influências de nossos familiares, amigos, dos grupos nos quais estamos inseridos e de todo tipo de contato social que mantemos. Isso significa que, sem dúvidas, o meio social em que vivemos contribui bastante para o desenvolvimento da nossa aprendizagem.

A fim de compreender melhor a relevância de nossas relações para a aprendizagem, que tal você conhecer a Teoria Social Cognitiva? Também chamado de aprendizagem social, o estudo foi proposto pelo psicólogo Albert Bandura.

Neste post, explicaremos melhor o que é a aprendizagem social, como incorporá-la no mercado de trabalho e quais são seus benefícios. Confira!

 

O que é a aprendizagem social e quem criou o conceito?

 

A aprendizagem social foi formulada pelo psicólogo cognitivo canadense Albert Bandura. Atualmente, o conceito é conhecido como teoria social cognitiva. De acordo com Bandura, o meio social no qual estamos inseridos determina significativamente nosso desenvolvimento e aprendizado, como já vimos.

Logo, a teoria propõe que o sujeito seja capaz de aprender e se desenvolver a partir da observação dos comportamentos de outras pessoas. Seus princípios básicos incluem a aprendizagem observacional, que diz que os indivíduos são capazes de aprender ao observar outras pessoas praticarem determinada ação.

Essa observação pode ser feita ao vivo, quando se contempla a ação do outro. Mas ela também ocorre de modo verbal, quando há a descrição de uma ação com detalhes, e de forma simbólica, que pode ser real ou fictícia, como livros, filmes, internet, entre outros.

O segundo princípio, de acordo com Bandura, alega que o estado de espírito da pessoa é fundamental para a aprendizagem. Ou seja: ele assume que só os fatores externos não são suficientes para afetar completamente o aprendizado — é necessário que o indivíduo esteja atento e interessado ao que é ensinado.

Já o último princípio informa que aprender não tem como consequência, necessariamente, uma mudança de comportamento.

 

Como incorporar a aprendizagem social no mercado de trabalho?

 

Existem inúmeras maneiras de incorporar a aprendizagem social no mercado de trabalho. Podemos iniciar indicando as sessões de brainstorming, os programas de treinamentos em pares e a produção de vídeos de demonstração pelos melhores artistas.

As dinâmicas de grupo também são bem interessantes para desenvolver esse tipo de aprendizagem, assim como a aplicação de cursos EAD, que vai contar com aspectos lúdicos, orais e escritos para expor determinada informação.

É importante ressaltar que vale a pena incorporar algum aspecto da aprendizagem social em cada evento ou treinamento proposto pela empresa. Assim, os colaboradores vão conseguir se interessar e reter os conhecimentos de maneira mais profunda e duradoura.

 

Quais são os benefícios da aprendizagem social?

 

A seguir, vejamos os principais benefícios da aprendizagem social no mercado de trabalho.

 

Autoconhecimento

 

O primeiro ponto positivo é o desenvolvimento do autoconhecimento por parte do profissional. A partir da aprendizagem social, ele será capaz de reconhecer seus pontos fortes e de melhoria, bem como estabelecer com maior precisão suas metas e valores pessoais. Além disso, a pessoa conseguirá entender melhor suas emoções e vai passar a gerir suas habilidades de inteligência emocional, relacionamento interpessoal ou comunicação.

 

Autogerenciamento

 

Outro ponto positivo da aprendizagem social no mercado de trabalho é o autogerenciamento. Por meio dessa habilidade, o profissional se torna mais dono de si, capaz de controlar impulsos e o estresse, lidando melhor com críticas ou frustrações. Além disso, seu foco é aumentado e ele consegue se manter focado para regular suas emoções e alcançar seus objetivos.

 

Consciência social

 

A consciência social é mais um dos benefícios promovidos pela aprendizagem social. Ela leva ao desenvolvimento da empatia, da compreensão e do respeito pelas diferentes culturas ou origens.

Além disso, diversas normas sociais são compreendidas e o indivíduo se torna mais ciente dos recursos de sua comunidade. Trata-se de algo extremamente benéfico para o profissional, que pode atuar de forma consciente e visando gerar valor de forma constante para a sociedade.

 

Habilidades de relacionamento

 

Por óbvio, podemos deduzir que as habilidades de relacionamento são aprimoradas com a aprendizagem social. Isso se explica pelo fato de que o processo envolve:

 

  • a clareza da comunicação;
  • a escuta ativa;
  • as habilidades de negociação;
  • as tomadas de decisões;
  • a capacidade de resistir a uma pressão social inadequada;
  • a cooperação;
  • a habilidade de gerir conflitos de maneira positiva e construtiva;
  • a humildade de buscar ajuda quando necessário.

 

Tomadas de decisões

 

Por fim, ao desenvolver habilidades sociais e emocionais, o indivíduo aprimora sua capacidade de tomar boas decisões. Ou seja: o profissional passa a fazer escolhas pautadas no compromisso com as normas éticas, cuidando sempre para que suas decisões não gerem malefícios à segurança, à saúde ou ao bem-estar dos outros.

Com esse modelo de aprendizagem, o profissional aprende a decidir de forma construtiva, avaliando de modo realista as consequências de suas possíveis ações e considerando culturas ou meios sociais distintos. De tal maneira, o mercado de trabalho conquista um talento de alta performance e capaz de compreender e se adaptar a distintas opiniões ou culturas, que é ético e responsável.

Isso significa que a companhia terá profissionais mais confiáveis, comprometidos, unidos, sábios e capazes de solucionar os problemas com eficácia e justiça. Esses colaboradores sempre vão buscar por negociações benéficas e éticas a todos os envolvidos.

Como vimos, a aprendizagem social atrelada ao mercado de trabalho é extremamente relevante para o desenvolvimento pessoal e profissional. O indivíduo se torna mais consciente das consequências de seus atos, da realidade da sociedade na qual está inserido e de seus desejos ou emoções.

Quanto ao desenvolvimento profissional, ele se transforma em um colaborador adaptável, dinâmico, criativo, consciente, flexível e ético. Dessa forma, sua empregabilidade aumenta e a pessoa conquista respeito tanto dos líderes quanto dos colegas de trabalho. Afinal, todos vão confiar na sabedoria de quem é capaz de ter empatia e compreensão com aqueles que estão ao seu redor.

E então, gostou deste post? O que acha de aumentar seus conhecimentos lendo mais um dos nossos conteúdos? Confira agora mesmo quais são as tendências da educação corporativa!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *