Saiba quais são os principais desafios da Educação Corporativa

 

Desafios da Educação Corporativa

Cada vez mais, as organizações reconhecem a importância de ter profissionais realmente preparados em seu quadro de funcionários para lidar com os desafios do mercado. Para isso, é fundamental investir em um projeto de educação corporativa.

Essa é uma ferramenta que tem como objetivo o preparo e a capacitação dos colaboradores da empresa, o que otimiza o investimento na área e aumenta o aprendizado e o desenvolvimento interno. Dessa forma, a equipe se mantém atualizada e com alta produtividade.

Contudo, para obter sucesso nesse projeto, é necessário criar uma estrutura adequada investindo nos treinamentos certos e em formatos de ensino atrativos. Afinal, uma boa estratégia garante um processo de capacitação muito mais eficiente.

Pensando nisso, resolvemos trazer, neste post, informações valiosas sobre as maiores dificuldades enfrentadas durante a implementação de um bom projeto de educação corporativa e como superar cada uma delas. Leia até o final para conferir!

 

O que é Educação Corporativa?

Educação corporativa é uma prática de gestão de pessoas que tem como principal objetivo a promoção do desenvolvimento dos colaboradores, a gestão do conhecimento e o crescimento da empresa.

A educação corporativa vai muito além do treinamento ou do desenvolvimento de habilidades específicas. É um conjunto de ações que estimula o desenvolvimento dos colaboradores aliado às estratégias e aos objetivos da empresa. Isso, no final das contas, incentiva os processos de inovação e a melhoria contínua da corporação.

 

 

Objetivos

Existem diferentes razões para se implementar um projeto de educação corporativa em uma organização. Confira agora algumas delas:

  • apresentar a cultura organizacional;

  • desenvolver e padronizar comportamentos e atitudes;

  • desenvolver habilidades de liderança e de gerenciamento;

  • desenvolver habilidades relacionadas às atividades-chave do negócio;

  • educar sobre procedimentos e boas práticas de segurança no trabalho;

  • apresentar e instruir colaboradores a realizar procedimentos corretamente;

  • integrar teorias ensinadas em escolas a práticas da rotina de trabalho;

  • demonstrar os fluxos e os processos da cadeia de negócios.

De forma resumida, um projeto de educação corporativa auxilia no aumento da qualidade dos resultados capacitando os profissionais por meio de práticas e de conteúdos necessários para melhorar a competitividade do negócio.

O processo de treinamento e capacitação pode ser feito tanto de forma presencial quanto a distância. Algumas empresas utilizam até mesmo uma combinação dessas duas modalidades.

 

Quais são os principais desafios da Educação Corporativa?

Atualmente, a educação corporativa vem apresentando um crescimento considerável devido ao aumento da preocupação das organizações com o desenvolvimento interno. Essa prática garante a motivação e o preparo dos funcionários para lidar com diferentes desafios do dia a dia e adotar novas tecnologias para otimizar suas tarefas.

Contudo, muitas empresas ainda encontram diversos desafios para implementar essa prática. Reunimos abaixo as principais dificuldades e como enfrentar cada uma delas. Confira!

 

Adequação e prática dos conhecimentos adquiridos

A educação corporativa no Brasil encontra uma barreira muito importante: transformar os conhecimentos teóricos adquiridos em práticas que sejam benéficas para a organização.

Isso acontece principalmente porque muitas empresas realizam capacitações sem proporcionar, na sequência, as condições necessárias para o desenvolvimento pleno. É o que acontece quando um vendedor é treinado para usar um software e o acesso a ele não lhe é garantido, por exemplo.

Por isso, garanta que os funcionários tenham uma estrutura adequada para colocar os conhecimentos adquiridos em prática a fim de poder praticá-los. Somente assim será possível avaliar o proveito dos treinamentos.

 

Falta de consistência nos investimentos

Muitos empresários enxergam a capacitação como um gasto e, por isso, desejam que essa despesa apareça o mínimo possível no orçamento. Isso faz com que uma capacitação aconteça em um momento e, depois, o funcionário passe semestres ou anos sem receber a oportunidade de se atualizar ou de se aprimorar.

Em um ambiente cada vez mais digital e com um mercado altamente dinâmico, essa falta de consistência faz com que os colaboradores estejam sempre defasados. Em última análise, isso faz a educação corporativa parecer ineficaz — levando a menos investimentos — quando, na verdade, o problema está na frequência de investimentos.

Para que isso não aconteça, crie um cronograma de treinamentos, capacitações e reciclagens para que os colaboradores estejam sempre alinhados com os objetivos da empresa e que o valor investido não seja em vão.

 

Dificuldade em mensurar e avaliar os resultados

Como saber se os treinamentos surtiram o efeito esperado se os resultados dessa prática não forem avaliados? Um dos maiores erros cometidos pelas organizações é aplicar a educação corporativa sem um planejamento adequado seguido de uma boa análise de resultados.

Após todo o treinamento oferecido ao colaborador, é preciso avaliar o quão proveitoso ele foi para o seu crescimento a fim de que a empresa possa corrigir possíveis falhas e investir onde mais precisa.

Seja na forma de questionários, provas práticas, provas teóricas ou qualquer outra forma de avaliação, é importante mensurar o nível de aproveitamento do curso oferecido, assim como analisar constantemente outras possíveis áreas que também necessitem de um cuidado extra.

 

Promoção do autoconhecimento dos colaboradores

A autoavaliação é um processo em que os colaboradores refletem e expressam sua opinião sobre seu próprio desempenho e suas atitudes no trabalho. Durante esse processo, é fundamental que o profissional tenha um diálogo aberto com o seu gestor e seja sincero sobre suas expectativas, dificuldades e realizações durante o período que está avaliando.

O ideal é que ela seja feita com certa frequência na organização, o que permite que tanto os funcionários quanto os gestores relembrem os principais acontecimentos de determinado período e possam discuti-los durante a autoavaliação.

Essa prática pode trazer diversos benefícios tanto para a organização quanto para os colaboradores. Ela é importante porque não limita a avaliação de desempenho ao ponto de vista do gestor, permitindo que o funcionário também mostre sua perspectiva de trabalho.

A autoavaliação é um momento no qual cada profissional pode reconhecer seus acertos, buscar alternativas para erros cometidos, fazer solicitações de treinamentos e demonstrar suas expectativas em relação à sua carreira.

Agora que você já sabe tudo sobre os principais desafios da educação corporativa, siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro das novidades e receber tudo em primeira mão! Estamos no Facebook, no Twitter, no LinkedIn, no YouTube e no Instagram!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *