Modelo 2:2:2 e outras técnicas para combater o esquecimento na aprendizagem

 

Modelo 2:2:2

Após uma semana intensa de treinamentos, o que uma pessoa realmente consegue lembrar sobre o conteúdo apresentado? Já parou para analisar a quantidade de informações que aprendemos, mas em um curto período de tempo já esquecemos?

Infelizmente, isso acontece com frequência. Portanto, é imprescindível a adoção de práticas que ajudem a combater o esquecimento na aprendizagem.

Segundo Hermann Ebbinghaus, um psicólogo alemão pioneiro no estudo científico da memória, no momento em que estamos aprendendo, conseguimos resgatar toda a informação que queremos.

Mas após 20 minutos, retemos 58%, ou seja, já esquecemos 42% desses dados. Em apenas dois dias, já teremos esquecido cerca de 70%, sendo que esse número pode chegar a 80% após um mês. O estudo ficou conhecido como Curva de Esquecimento.

Pensando nisso, reunimos 3 técnicas para ajudar você a combater o esquecimento na aprendizagem entre a equipe. Continue a leitura deste artigo para conferir!

 

Técnicas para combater o esquecimento na aprendizagem

O esquecimento não é uma falha do nosso cérebro. Muito pelo contrário: trata-se de um processo normal, natural e absolutamente necessário. Já imaginou como seria se lembrássemos de tudo o que acontece durante todos os dias de nossas vidas? Diariamente, somos bombardeados por milhões de sentimentos, sensações e estímulos — muitos deles completamente desnecessários.

Contudo, existem muitas informações que precisamos armazenar, mas não conseguimos com a correria do cotidiano. Para ajudar nessa tarefa de selecionar, manter e resgatar apenas os conteúdos que são relevantes e usados, separamos 3 excelentes técnicas a seguir. Confira!

 

1. Modelo 2:2:2

modelo 2:2:2 foi elaborado pelo neurocientista e professor Art Kohn para combater o esquecimento. Cada “2” presente no nome simboliza um booster event (ou evento amplificador).

Cada evento tem como objetivo evitar a perda natural e intensificar a memorização, ressaltando de forma ativa a relevância do conteúdo para nossa própria memória. Confira:

  • dois dias após a capacitação, é preciso ter um evento que promova o reforço cognitivo (o envio de um e-mail aos participantes com um quiz sobre os pontos abordados, por exemplo);
  • duas semanas após a capacitação, é necessário preparar algo que promova o reforço social, como uma discussão em um fórum virtual sobre os temas vistos;
  • dois meses após a capacitação, é recomendado pensar em uma estratégia que sirva de reforço comportamental, como solicitar aos participantes uma aplicação dos novos conhecimentos.

Cada evento citado, além de promover um resgate pontual de informações, sinalizará à nossa memória que tais conhecimentos são importantes. Ela entenderá que esses dados não devem ser descartados, pois precisamos deles e vamos usá-los no futuro.

O modelo 2:2:2 reforça a importância da aprendizagem espaçada. Além disso, a técnica é muito mais eficiente e eficaz do que o excesso de aprendizado em um curto período de tempo.

 

2. Revisão espaçada

Como a curva do esquecimento age mesmo durante o tempo em que a pessoa está estudando, o ideal seria realizar revisões de tempos em tempos para minimizar essa perda de informações. O recomendado para cada caso é:

  • revisão imediata — duração média de dez minutos;
  • revisão 24 horas após — duração média de dez minutos;
  • revisão sete dias após — duração máxima de dez minutos;
  • revisão 30 dias após — duração média de cinco minutos;
  • revisões seguintes, de 30 em 30 dias — duração máxima de cinco minutos.

Seguindo esse cronograma, fica muito mais fácil fixar o conteúdo aprendido ao longo do tempo, evitando a perda de dados de importante aplicação no cotidiano. Não adianta fazer revisões todos os dias, pois, além de exaustiva, tal prática não tem uma efetividade comprovada. Pelo contrário: isso fará com que a pessoa decore o texto, mas não o absorva de fato.

 

3. Anotações

A anotação é uma das técnicas mais utilizadas e eficazes no processo de aprendizagem, pois fixamos muito melhor o conteúdo quando escrevemos. Fazer anotações durante um treinamento, uma palestra ou mesmo a leitura é uma excelente estratégia para prestar mais atenção no assunto abordado.

Quando anotamos, estamos construindo resumos que nos orientam na compreensão do conteúdo. Adotando esse hábito, potencializamos a memorização do que foi apreendido durante a capacitação.

Além disso, por conterem os tópicos mais importantes de um tema, as anotações auxiliam na concentração durante palestras. Consequentemente, a revisão citada no tópico anterior é facilitada. 

 

Hábitos que auxiliam na memorização

Além das técnicas apresentadas, existem hábitos que auxiliam na memorização e no aprendizado. Com o objetivo de tornar essa tarefa ainda mais simples, separamos alguns deles para você incluir na rotina da empresa hoje mesmo. Acompanhe!

 

Manter o ambiente de trabalho organizado

Ter um ambiente de trabalho organizado é primordial para conseguir foco nas atividades rotineiras. Assim, o colaborador evita perder a atenção com fatores externos, como providências a serem tomadas.

Deixar o celular no silencioso também é uma prática muito importante, pois qualquer notificação pode contribuir para sua dispersão e colocar todo o trabalho a perder. Então, é indicado dar preferência a um lugar organizado, bem iluminado e sem barulhos. Dispersão é sinônimo de desconcentração (com resultados já conhecidos, não é mesmo?).

 

Cuidar da alimentação

A ausência de determinadas vitaminas pode ser extremamente prejudicial para a concentração e memorização. Uma alimentação balanceada e aliada a uma boa rotina de exercícios, nem que seja uma caminhada matinal, prepara a mente para absorver informações, processá-las e transformá-las em conhecimento. Veja alguns alimentos que favorecem o aprendizado:

  • frutas em geral — vitaminas C e B6;
  • nozes — vitaminas B6 e E, além do Ômega 3;
  • folhas -— vitaminas B6 e E;
  • ovos — vitaminas B12, A, D, E e K;
  • salmão — vitamina B12, Ômega 3 e Ômega 6;
  • feijão e fígado — ácido fólico e ferro.

Ao longo deste artigo, você pôde perceber que, adotando técnicas para combater o esquecimento na aprendizagem, fica muito mais fácil absorver o conteúdo visto e colocá-lo em prática sem perder informações importantes no meio do caminho.

Manter a organização do ambiente de trabalho e uma alimentação balanceada (aliada a uma rotina de exercícios) também é fundamental a um bom aprendizado.

 

 

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *