Como elaborar um treinamento de compliance?


Treinamento de Compliance

 

O treinamento de compliance foi desenvolvido para que as empresas possam manter distância de problemas com a justiça, preservando sua imagem no mercado e, de quebra, proporcionando uma rotina mais eficiente. Mas, como isso é alcançado e do que se trata o termo compliance?

A origem vem do inglês to comply, cuja tradução pode ser classificada como agir conforme a lei. Sendo assim, os programas voltados para essa prática visam estimular a atuação dentro de um padrão ético, ao mesmo tempo em que há respeito às leis e regimentos internos e externos.

Está interessado em manter a sua empresa segura e não faz ideia de como elaborar um treinamento voltado para esse fim? Então confira algumas informações a respeito!


Qual a importância de fazer uma avaliação das características da empresa?

 

Se um dos pilares do treinamento de compliance são as normas internas da empresa, parece óbvio que uma avaliação da postura do negócio é fundamental para montar uma estrutura sólida e garantir um programa eficiente. Portanto, para um diagnóstico fiel, é necessário observar:

  • o porte da empresa;
  • a estrutura de lideranças;
  • o cenário do mercado de atuação;
  • a eficiência no mapeamento de processos;
  • o histórico de contingências judiciais e administrativas;
  • o regimento interno da organização.

Uma vez que para haver o diagnóstico deve ser realizada uma avaliação das características da empresa, os riscos que a cercam também aparecem nesse processo. É necessário, então, mensurar o nível de exposição a esses fatores, considerando a probabilidade da ocorrência de tais eventos e os prejuízos gerados.

Com esses dados em mãos, o planejamento para a implementação do treinamento é realizado da maneira mais ajustada o possível à realidade, assim os resultados tendem a ser satisfatórios.


Por que estabelecer políticas e código de conduta?

 

Para que a empresa não tenha problemas com a justiça, é preciso seguir a legislação vigente, cumprindo uma série de obrigações legais e procedimentos burocráticos em sua rotina. E para que tudo isso seja feito em segurança, é necessário que os colaboradores cumpram suas funções respeitando essas normativas.

A estruturação do treinamento deve seguir neste sentido: deixando nítido para a equipe a importância de seguir os preceitos éticos e legislativos para que os problemas com a justiça sejam evitados e, de quebra, contribuindo para um clima organizacional mais saudável.

Para isso, as empresas que ainda não contam com um código de conduta devem fazer o possível para estruturá-lo o quanto antes. Ao estabelecer políticas internas que contemplem essa postura ética, elas trabalham na promoção de diretrizes que possibilitam uma conduta inteligente para as resoluções de problemas. Dessa forma, evitam que os pequenos conflitos se transformem em sérias questões a serem resolvidas na justiça.


Como os colaboradores devem ser treinados?

 

Agir dentro dos padrões éticos, respeitando o código de conduta e a legislação vigente, demanda transparência nas relações e apoio dos colaboradores. Quando não entendem ou não concordam com a conduta estabelecida, dificilmente vão vivenciá-la na prática.

Por isso, é fundamental que o ativo humano da organização não só entenda, como tenha total consciência das responsabilidades dos seus atos. Desde as pequenas ações do dia a dia — como registrar no ponto uns minutinhos atrasados de propósito, para ter uma folguinha a mais ao final do mês — como em atitudes mais graves, deve haver estímulo e um diálogo franco para que saibam que uma postura errada gera graves consequências.

Organizações que entendem as falhas do seu time conseguem estruturar treinamentos e programas de compliance realmente eficientes para a sua realidade. Palestras, campanhas de conscientização, investimento em comunicação interna ou técnicas de gamificação podem ser aplicadas para que os colaboradores sejam bem treinados.

Por exemplo, a empresa pode entregar o manual de regras de conduta e realizar um quiz com premiações para as respostas positivas. As perguntas devem estar pautadas em situações hipotéticas em que o colaborador informe sua postura mediante ao fato apresentado.

A proposta, além de incentivar que os profissionais se envolvam nas questões apresentadas, permite que a organização conheça um pouco mais do seu time, podendo se prevenir de alguma conduta prejudicial à sua imagem.


É necessário desenvolver uma equipe de compliance?

 

Até aqui, você pôde perceber que investir no treinamento de compliance deve ser feito de maneira estratégica. A estruturação de um programa não deixa de ser um projeto e, como todos eles, necessita de uma equipe competente para que seja colocado em prática.

Nesse caso, é imprescindível que a empresa componha ou contrate um time responsável pelo planejamento e execução do treinamento. O número de componentes da equipe pode variar de acordo com o tamanho do negócio e o diagnóstico realizado, mas, no geral, conta com quatro membros:

  1. diretor de compliance;
  2. gerente;
  3. coordenador;
  4. analista de complicance.

Essas pessoas ficam responsáveis por processos como supervisão, controle de aplicação do treinamento, implementação de normas e, posteriormente, auditorias para verificar se o código de conduta é cumprido corretamente ou se alguma questão relacionada à legislação está passando em branco. Atitudes fundamentais para as organizações que estão em busca de estabelecer uma postura ética dentro da empresa.


Como a comunicação pode ajudar?

 

A equipe de compliance é fundamental para gerenciar os eventuais problemas e conta com uma poderosa arma para isso: a comunicação. Ter um canal sigiloso, em que os colaboradores se sintam à vontade para relatar situações que possam ser prejudiciais à empresa é uma das maneiras de atuar na prevenção de problemas que possam surgir quando regras não são obedecidas.

Tudo isso deve ser muito bem gerenciado, já que a intenção não é criar um clima de fofoca, mas ficar a par de situações como práticas comerciais inadequadas ou questões relacionadas ao RH que podem parar na justiça do trabalho.

A organização deve estabelecer o que deve ser reportado e o que pode ser resolvido diretamente com os gestores. Inclusive são pontos que devem ser trabalhados no treinamento de compliance. Ao combinar diagnóstico com treinamento e monitoramento, a empresa mantém suas relações de acordo com a legislação e evita maiores problemas.

Existe uma série de tipos de treinamentos corporativos benéficos para um negócio. Conheça mais sobre eles e invista na saúde e sustentabilidade da sua empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *