5 principais tipos de Liderança e como refletem na empresa

 

Contar com colaboradores motivados e comprometidos com os objetivos da organização é o desejo de qualquer empregador. No entanto, para que o ambiente de trabalho ofereça condições favoráveis, que impulsionem o crescimento da empresa e dos funcionários, é preciso incentivar o desenvolvimento de bons líderes. Para isso, conhecer os tipos de liderança é fundamental.

O estilo de liderança influencia diretamente o clima organizacional e o comportamento dos colaboradores. É preciso garantir que os líderes tenham uma boa formação, que os ajude a identificar não só o seu tipo de liderança, como também a melhor forma de exercê-la em favor da empresa.

Conheça 5 tipos de liderança e os impactos de cada estilo no ambiente organizacional. Continue a leitura!

 

1. Liderança autocrática

 

Centralização é a palavra-chave do líder autocrático. Sua liderança envolve pouca ou nenhuma participação dos funcionários nas decisões, sendo ele quem define os objetivos de seus subordinados e os métodos de trabalho.

Com um perfil que o aproxima da figura de um chefe, exercendo poder de mando e autoridade, esse tipo de gestor adota uma postura de maior cobrança e pressão por resultados. A tensão constante e a falta de diálogo impactam diretamente no descontentamento da equipe e na promoção de um ambiente corporativo hostil e desmotivador.

 

Além de prejudicar a retenção de talentos, a liderança autocrática traz como consequências:

 

  • ineficiência na gestão;
  • baixos resultados;
  • grande volume de trabalho, mas pouca eficiência na entrega;
  • desvalorização das competências e conhecimentos dos colaboradores;
  • quadros emocionais agravados entre funcionários (tensão, frustração, agressividade, depressão etc).

 

Apesar de a liderança autocrática garantir maior velocidade na tomada de decisões e também a simplificação dos processos de trabalho, que são designados pelo gestor, suas desvantagens são maiores. Quando esse estilo se torna uma prática constante da gestão, as decisões da empresa podem se tornar arbitrárias.

 

tipos de liderança

 

2. Liderança Democrática

 

Participação e bem-estar coletivo são prioridades da liderança democrática. Diferente do líder autocrático, que só pensa em si, o democrático prioriza o desenvolvimento dos profissionais e a qualidade de vida no trabalho.

Esse tipo de líder procura ser um membro regular do grupo, abrindo canais de diálogo. Tem uma postura aberta às ideias, oferece feedback e consulta a opinião da equipe, envolvendo o grupo desde a etapa do planejamento das metas até a conquista dos resultados.

Em vez de delegar funções, sua gestão inclui os liderados nas decisões, incentivando a participação ativa na construção de soluções e divisão de tarefas. Essa forma de liderança também impulsiona a busca por resultados individuais e aprendizado, sem negligenciar o senso de responsabilidade profissional.

 

Entre os benefícios da liderança democrática, podemos destacar:

 

  • comunicação mais direta e efetiva;
  • maior satisfação dos funcionários no trabalho;
  • valorização e reconhecimento da equipe;
  • redução da rotatividade;
  • maximização da produtividade e dos resultados;
  • promoção do trabalho em equipe.

 

Apesar de tantas vantagens, uma liderança democrática precisa prezar pelo equilíbrio. É fundamental que os colaboradores não confundam a autonomia de tomar decisões e compartilhar ideias com a falta de controle na empresa. Também exige maturidade dos profissionais gerenciados para que consigam tirar proveito da experiência coletiva.

 

3. Liderança Liberal

 

Total liberdade para a equipe, essa é a ideia central da liderança liberal. Diferente do líder democrático, o liberal tem pouca participação na tomada de decisões, deixando a equipe à vontade na escolha dos melhores caminhos e soluções para os problemas da empresa.

Partindo do princípio que os profissionais já são competentes, maduros e capazes de gerenciar suas atividades, esse modelo dispensa a supervisão direta, sendo a figura do líder quase nula.

Apesar de a liberdade parecer benéfica, essa liderança implica em sobrecarga para os profissionais, que não recebem orientações e nem feedback, ficando sem referência sobre a qualidade do trabalho desempenhado. Isso pode prejudicar tanto o desempenho das atividades, como limitar o crescimento profissional e a motivação no trabalho.

Para que esse tipo de liderança funcione, é importante que o líder permaneça atento ao andamento de tudo, evitando que o time tome decisões que prejudiquem o desenvolvimento da empresa.

 

Entre os principais problemas da adoção desse modelo, podemos destacar:

 

  • maior individualismo entre os membros;
  • perda do senso de autoridade e respeito pelo líder;
  • aumento das discussões entre a equipe devido à ausência de direção;
  • baixa produtividade;
  • oscilação na qualidade das tarefas.

 

4. Liderança Situacional

 

Saber avaliar a maturidade dos profissionais e se adequar às diferentes situações são os principais atributos desse tipo de líder.

Como a liderança situacional é adaptativa, rapidez, agilidade, estratégia, inteligência e assertividade são características fundamentais para que esse gestor consiga direcionar suas ações de acordo com as demandas e necessidades específicas da organização.

Além de avaliar cenários e contextos, o líder situacional deve saber identificar o nível de capacitação técnica, comportamental e emocional dos colaboradores, de modo a atribuir as tarefas corretamente e obter os resultados esperados.

Nesse tipo de gestão, a forma de liderança depende tanto da capacitação quanto da motivação do liderado. Por exemplo: um funcionário que tem baixa competência e alto empenho demanda que o líder forneça direção para que ele desenvolva suas habilidades. No entanto, caso os subordinados apresentem alta competência e empenho, o papel do líder é delegar responsabilidades.

 

5. Liderança Coach

 

Promover o desenvolvimento dos profissionais é uma das marcas desse tipo de liderança. Para isso, o líder busca identificar, treinar e desenvolver sua equipe. Além disso, incentiva suas competências e habilidades, de modo que os colaboradores consigam elevar seu potencial, alcançando metas e objetivos tanto de nível pessoal quanto da empresa.

 

Entre os benefícios dessa liderança, cabe destacar:

 

  • promoção de um clima de cooperação, confiança e crescimento;
  • comunicação assertiva com os liderados e feedback;
  • retenção e desenvolvimento de talentos;
  • ambiente de trabalho muito mais positivo e produtivo;
  • acompanhamento do desenvolvimento individual dos colaboradores;
  • aumento da performance dos subordinados.

 

Como vimos no texto, existem vários tipos de liderança, sendo o líder aquele que sabe influenciar as pessoas para alcançar os objetivos estabelecidos. Independentemente do modelo de liderança, o bom desenvolvimento da empresa depende de seu capital humano, sendo papel do bom líder entusiasmar, persuadir e também estimular o trabalho em conjunto, de modo que equipe e empresa alcancem os melhores resultados.

Além disso, nada impede que, em seu processo de gestão, o líder busque conjugar diferentes modelos para atender as demandas da empresa e também dos colaboradores, sendo importante para qualquer liderança:

 

  • promover a cultura organizacional;
  • motivar os funcionários, desenvolvendo seus valores pessoais, autoestima, reconhecimento e satisfação;
  • proporcionar treinamentos corporativos para capacitar os colaboradores e desenvolver suas habilidades e competências;
  • favorecer o diálogo entre empresa e colaboradores;
  • mediar conflitos;
  • acompanhar a equipe;
  • manter o foco do grupo nas tarefas, metas e resultados.

 

Agora que você já conhece os principais tipos de liderança, confira como estruturar bons treinamentos para lideranças

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *