People Analytics para gestão de pessoas, conheça sua importância

 

Entenda em nosso conteúdo tudo sobre People Analytics para gestão de pessoas.

Foi-se o tempo em que os gestores de empresas conseguiam tocar seus negócios e também o seu pessoal por meio de impressões particulares e com base na experiência acumulada ao longo dos anos.

Logicamente, o tempo de mercado e as  vivências são ferramentas poderosas para a condução do negócio. Contudo, é preciso destacar a crescente importância dos indicadores de desempenho e dos métodos de análise de ambiente para o mercado.

É nesse novo ritmo que o people analytcs está ganhando cada vez mais espaço nas organizações. Como ele ainda é novo e desconhecido por muitos, vale a pena tirarmos um tempo para olhar mais de perto essa nova tendência de mercado.

Confira o post de hoje e saiba mais!

 

O que é o people analytics

 

É muito fácil perceber que o volume de vendas apurado no final de cada mês é um importante indicador para a empresa. Com base nesse tipo de índice, a empresa pode fazer algumas previsões, elaborar campanhas de comunicação e tomar decisões estratégicas.

Por outro lado, ainda pensando nas vendas, é interessante reparar se os produtos ou serviços comercializados conseguem oferecer um bom nível de rentabilidade para o negócio. De maneira natural, será possível perceber que, dentre os itens comercializados, existem aqueles que têm um retorno mais interessante do que outros.

Esse tipo de estudo um pouco mais aprofundado terá melhores condições de indicar para a direção quais linhas de produtos ou serviços devem ser trabalhadas com mais força de divulgação e podem também sugerir que outros itens sejam retirados das prateleira o quanto antes.

O aprofundamento na análise dos dados e das informações que envolvem uma empresa é capaz de trazer à tona aspectos que antes poderiam passar desapercebidos. Assim como no exemplo do setor de vendas, o marketing também experimenta profundamente essa revolução de análise numérica. Taxas de conversão, retenção, ticket médio e outros indicadores estão presentes em todas as reuniões e norteiam as decisões.

 

Redescobrindo o RH

 

Os dois exemplos acima mostram claramente como outras áreas já despertaram para a necessidade de um aprofundamento dos seus indicadores. Agora é o momento em que o RH começa a contar com uma ferramenta de igual nível: o people analytics.

Normalmente, o departamento de Recursos Humanos é acostumado a trabalhar com alguns indicadores sem muita profundidade — eles são calculados, muitas vezes, manualmente. Estamos falando de taxas de rotatividade, volumes de demissões, absenteísmo, faltas, advertências e outros do mesmo tipo.

Esses números não deixarão de ser representativos dentro do negócio, mas poderão ganhar muito mais significância quando comparados com relatórios mais aprofundados.

Por meio de um sistema que consegue capturar diversos tipos de dados produzidos pelos próprios funcionários, o people analytics constrói relatórios de alto nível cruzando informações e realizando cálculos que seriam quase impossíveis e muito mais lentos se realizados de maneira analógica.

O grande resultado é a disponibilização de conhecimentos a respeito do comportamento e da motivação dos colaboradores. É possível descobrir, por exemplo, o impacto das diferenças salariais na produtividade de cada equipe, a propensão a pedidos de dispensa e as melhores estratégias na busca pelo aumento da retenção de talentos.

 

 

Benefícios do people analytics

 

Uma tecnologia como essa, que consegue agregar valor a qualquer setor de RH, tem uma considerável lista de vantagens para todo tipo de organização. Dentre seus benefícios, veremos mais de perto alguns dos mais importantes. Acompanhe:

 

Antecipação de problemas

 

Antigamente, a data science se preocupava apenas com a captação e a reorganização de informações de modo a torná-las inteligíveis. Saber o que anda acontecendo e ter a capacidade de entender os motivos reais que levam a cada situação é uma grande vantagem — contudo, melhor ainda é conseguir enxergar o que vem pela frente.

Mantendo um bom nível de monitoramento da cultura organizacional de uma empresa, um profissional que tenha um olhar mais crítico e que disponha de relatórios estruturados — de forma a saber exatamente o que anda acontecendo — tem a chance de antecipar situações mais complicadas que estejam por vir.

 

Tomadas de decisão mais embasadas

 

Como já mencionamos, o feeling, embora não possa ser desprezado — já que é a acumulação de experiências de um profissional —, não será mais a única base para a tomada de decisões estratégicas.

O ser humano tem uma boa capacidade de percepção de padrões, mas uma solução sistematicamente construída para realizar cálculos e associar dados que podem estar aparentemente desconexos tem muito mais chances de desenhar o contexto por meio de relatórios detalhados com precisão.

 

Maior vantagem competitiva

 

Pensando um pouco mais em como enfrentar a concorrência em mercados agressivos, o people analytics tem o poder de fazer com que a produtividade seja incentivada. Isso acontece porque fica bem claro, por exemplo, quando uma equipe apresenta baixos níveis de rendimento provocados por uma liderança que ainda não conseguiu encontrar a forma correta de lidar com os colaboradores.

Indicando a necessidades da realização de treinamentos de líderes ou de liderados, intervenções focadas em aumentar a motivação ou reduzir conflitos, os relatórios direcionarão o trabalho que deve ser feito.

 

Retenção de talentos

 

Encontrar bons profissionais no mercado e conseguir captá-los para dentro da organização não é tarefa fácil — pessoas com qualificações verdadeiramente relevantes, experiências e habilidades que destacam são mais raras. Ainda que o seu RH tenha conseguido trazer para o time um bom colaborador, existe sempre o receio de perdê-lo novamente para o mercado.

Esse tipo de problema pode ser bem menor se informações a respeito da satisfação e do nível de engajamento dessas estrelas estiverem disponíveis em tempo integral. Assim, é possível fazer ajustes de forma assertiva e rápida o suficiente para conseguir ter mais condições de manter os bons profissionais dentro de casa.

Em meio a outros benefícios, uma boa gestão das peças mais importantes da empresa também evita problemas maiores — como, por exemplo, o “efeito manada”.

Se você gostou deste conteúdo e quer ajudar a amigos e colegas a conhecer um pouco mais sobre People Analytics dentro das empresas, compartilhe este texto postando em suas redes sociais.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *