Neurociência na Aprendizagem Corporativa

 

A neurociência é o estudo do sistema nervoso e suas funcionalidades. Ela é conhecida e estudada há muitos anos, no entanto, seu batismo se deu em 1970 pelos cientistas Michael S. Gazzaniga e George A. Miller, que são considerados os “pais” da neurociência.

Comumente a neurociência é relacionada ao campo da biologia, todavia ela é muito mais ampla, podendo abranger a psicologia, a comunicação, a antropologia, a computação, a filosofia, a física, a medicina, a educação, dentre outras.

Nesse artigo, abordaremos a importância de entender o papel da neurociência na aprendizagem e como ela pode ser aplicada ao ambiente corporativo, a fim de desenvolver profissionais de alta performance. Ficou interessado? Então siga a leitura e saiba mais sobre o assunto!

 

A evolução da neurociência

 

Apesar de o termo “neurociência” ser recente, seu estudo acontece desde a realização das primeiras cirurgias cerebrais. Podemos observar a aplicação desse conhecimento na história, desde as trepanações (feitas por meio de um furo no crânio, possibilitando inserções ou drenagens) no Antigo Egito, até o descobrimento das funções sensitivas do cérebro feitas pelo filósofo Alcmeon de Crotona, na Grécia, por volta de 500 a.C.

Inspirada por esses conhecimentos, o chamado “pai da medicina”, Hipócrates, aprofundou-se no assunto e elaborou a primeira teoria relacionada ao funcionamento de cada parte que compõe o cérebro.

Com o passar dos anos, a neurociência evoluiu cada vez mais e começou a ser relacionada à tecnologia. Logo, se antes era necessário realizar a dissecação de animais, atualmente existem equipamentos que viabilizam o monitoramento do cérebro sem a necessidade de sua exposição.

Por isso a neurociência na aprendizagem é tão relevante e precisa, afinal, é possível monitorar as reações cerebrais em tempo real, bem como trabalhar a fim de aprimorar o funcionamento do cérebro.

 

Os principais campos de atuação da neurociência

 

A neurociência possui cinco principais campos de atuação como veremos a seguir:

 

1. Neuropsicologia

 

O primeiro campo de atuação da neurociência é a neuropsicologia, que promove o estudo das interações realizadas pela área psíquica e a ação dos nervos. Desse modo, é possível compreender se os transtornos psicológicos são de origem fisiológica ou se foram moldados por traumas.

 

2. Neurociência cognitiva

 

O segundo campo de atuação da neurociência é a cognitiva. Por meio dela é possível compreender a capacidade de conhecimento do ser, tais como a memória, o aprendizado e o raciocínio. O estudo dessa área auxilia no desenvolvimento da cognição do indivíduo.

 

3. Neurociência comportamental

 

O terceiro campo da neurociência é o comportamental. Nele é feito o estudo da relação entre os fatores internos do indivíduo, tais como pensamentos e emoções, e o contato externo do organismo, ao comportamento que ele apresenta.

Ou seja, o fator interno e externo influenciando no modo como a pessoa fala, gesticula, promove insights, dentre inúmeras questões visíveis.

 

4. Neuroanatomia 

 

O quarto campo da neurociência é a neuroanatomia. Esse é um dos campos mais complexos, pois possui o intuito de estudar e conhecer toda a estrutura do sistema nervoso.

Logo, o neurocientista possui a necessidade de analisar cada item com muita cautela, separando a coluna vertebral, o cérebro e os nervos periféricos externos. Dessa forma, é possível nomear cada parte do sistema nervoso, bem como compreender suas funcionalidades.

 

5. Neurofisiologia 

 

Por fim, o quinto campo da neurociência é a neurofisiologia, que tem como objetivo estudar as funções relacionadas às inúmeras áreas do sistema nervoso.

Como vimos, cada campo da neurociência tem sua singular relevância e deve ser estudado minunciosamente por cada área na qual é abrangido.

 

Como a neurociência interfere na aprendizagem corporativa

 

Agora que já sabemos um pouco sobre a neurociência e suas áreas de atuação, vamos compreender como ela pode interferir na aprendizagem corporativa. Confira:

 

1. Universaliza o aprendizado

 

O primeiro papel da neurociência na aprendizagem corporativa é sua universalização. Isso se explica pelo fato de que, pelo estudo das funções do sistema nervoso, é possível compreender como cada indivíduo aprende e se desenvolve, ou seja, ninguém é considerado incapaz ou insuficiente.

Logo, qualquer indivíduo pode ser desenvolvido e apresentar resultados de alta performance.

 

2. Ajuda a compreender o processo de aprendizagem e otimizá-lo

 

Um dos grandes desafios do desenvolvimento dos profissionais é conquistar sua atenção e motivação para a melhoria contínua. Essa responsabilidade se dá muitas vezes pelo fato de o conhecimento estar sendo entregue de maneira incorreta, desconsiderando o processo de aprendizagem do indivíduo e a abordagem que deve ser usada.

Por isso, a neurociência possui um papel fundamental porque ajuda na compreensão e otimização do processo de aprendizagem.

 

3. Ajuda a reter informação

 

O terceiro benefício da neurociência na aprendizagem corporativa é que ela auxilia na retenção da informação. Afinal, quando se compreende o processo de aprendizagem do indivíduo, é possível usar uma abordagem que faz com que ele capte a informação de forma otimizada, com menos probabilidade de que ela seja esquecida tão facilmente quanto as demais informações.

 

4. Possui técnicas de aprendizado

 

Por fim, a neurociência possui técnicas de aprendizado. Afinal, não basta apenas conhecer a abordagem sem criar um plano de ação. Logo, por meio das técnicas da neurociência é possível otimizar o aprendizado e fazer com que o profissional se desenvolva de modo mais rápido e eficaz.

 

A aplicação da neurociência interferindo na ampliação de resultados e desempenho

 

A aplicação da neurociência pode interferir diretamente na ampliação de resultados e desempenho, afinal, esse estudo permite conhecer a capacidade intelectual do indivíduo, sua forma de aprendizagem, sua condição psicológica, dentre inúmeros aspectos de sua singularidade.

Com isso, é possível utilizar as técnicas de aprendizagem ideais para desenvolver aquele ser, minimizando seus pontos de melhoria e desenvolvendo ainda mais suas habilidades, tornando-o um profissional talentoso.

Como vimos, o papel da neurociência na aprendizagem corporativa é fundamental para a conquista de profissionais de alta performance que atuarão alinhados aos objetivos do negócio. Utilizar esse conhecimento no dia-a-dia empresarial é uma estratégia muito valiosa para garantir a competitividade tanto da empresa quanto dos colaboradores.

E então, já tinha ouvido falar sobre a neurociência na aprendizagem? Este post gerou valor pra você? Deixe um comentário agora mesmo e compartilhe conosco as suas experiências!

 

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *