O que é upskilling e como aplicá-lo em sua empresa?

 

Alguns temas recorrentes no momento ainda não se tornaram muito compreendidos pelos gestores de empresas. O surgimento de novos conceitos tende a confundir um pouco, mas gradualmente eles se incorporam ao vocabulário usual dos líderes.

Entre esses conceitos, podemos destacar o de upskilling, que nada mais é que a qualificação de um profissional, todo o conhecimento adquirido por ele para realizar a mesma tarefa com melhores resultados, de maneira mais profunda, com um nível maior de qualidade.

Vamos falar mais sobre esse conceito e como ele pode ser aplicado convenientemente em sua empresa. Apesar de ser um termo inglês, ele é de fácil compreensão e, quando aplicado, ajuda no crescimento empresarial.

 

Diferencie upskilling e reskilling

 

Já mostramos que toda aprendizagem adquirida com o objetivo de aprimorar o desenvolvimento de determinada tarefa corresponde a uma qualificação, ou upskilling.

Reskilling, por sua vez, equivale à requalificação, ou seja, todo o conhecimento adquirido para a efetivação de uma nova tarefa, de um novo trabalho — seja para obter uma nova posição dentro da mesma empresa, seja para conquistar algum emprego no mercado.

Tanto a qualificação como a requalificação são boas estratégias para garantir o desenvolvimento em um cenário cuja realidade é a constante transformação digital. A seguir, veremos como aplicar o upskilling nas empresas.

 

Mapeie as necessidades dos profissionais

 

Para começar, o gestor pode mapear que habilidades novas ou inovações tecnológicas são necessárias para garantir que determinada função seja executada com o máximo de eficiência e qualidade. Nenhum profissional é tão bom que não possa melhorar — sempre há algo a aprender, a aperfeiçoar em seu trabalho.

O mapeamento de qualidades e limitações contribui para identificar os pontos fortes e fracos de cada funcionário. Conhecendo os aspectos positivos e negativos deles, fica mais fácil aplicar soluções que garantam o acesso aos conhecimentos necessários para a melhoria na produtividade e a correção de limitações que impedem o colaborador de ir além.

 

Adote estratégias de treinamento e desenvolvimento

 

Para garantir o desenvolvimento das qualidades do profissional, é interessante investir em T&D. Os treinamentos devem ser direcionados a profissionais que já detêm determinadas capacidades, mas precisam desenvolvê-las ainda mais. Isso significa que são treinamentos mais avançados, que podem ser presenciais ou online.

O importante é que o funcionário se sinta motivado a aprender mais, mesmo que de forma autônoma. Além dos treinamentos propostos, ele pode pesquisar por conta própria na internet, ler livros, fazer outros cursos e assim por diante. Participar de palestras, workshops, feiras e outros eventos também são formas de se qualificar, bem como fazer uma pós-graduação ou mestrado na área em que trabalha.

Apostar no desenvolvimento do colaborador é muito importante porque contribui para reter talentos, aumentar a produtividade e otimizar os resultados da empresa e de cada profissional em particular.

 

Use a tecnologia como aliada

 

Powered by Rock Convert

O upskilling está relacionado diretamente à tecnologia. Não tem muito sentido falar em qualificação profunda sem mencionar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Hoje já existem recursos mais dinâmicos para estimular o processo de aprendizagem.

Entre eles, podemos citar vídeos, ferramentas mobile, games, simuladores e outros. Os métodos modernos de ensino são mais versáteis e oferecem resultados efetivos, principalmente quando falamos de funcionários de uma empresa, cujo tempo ou ânimo nem sempre é compatível com as formas convencionais de ensino.

A gamificação e os simuladores, por exemplo, permitem que o funcionário encare situações fictícias que poderiam ser reais e, assim, desenvolva suas aptidões para lidar com elas, para superar diversos desafios, para revelar todo o seu potencial, já que muitas de suas qualidades podem ainda se encontrar adormecidas, à espera de que algo as desperte. Enfim, é um aprendizado prático e útil para o crescimento profissional e para a produtividade empresarial.

Isso não quer dizer que a teoria é relegada a segundo plano. Mas, com a tecnologia, ela se transforma, fica mais dinâmica e até mais acessível. Na verdade, a teoria e a prática se complementam através de diferentes ferramentas digitais.

Além disso, a tecnologia se insere na rotina de trabalho da maioria dos profissionais. Todos hoje dependem de um computador ou da internet, de algum software específico, de plataformas na nuvem, de determinadas máquinas e equipamentos. Cada vez que o funcionário entra em contato com uma nova tecnologia, ele está aprimorando seus conhecimentos, está se qualificando.

 

Envolva os gestores de diferentes áreas

 

Não cabe apenas ao gestor de RH aplicar iniciativas de upskilling. É importante que os gestores de diferentes áreas se envolvam e contribuam para um planejamento estratégico. Vale lembrar que os próprios líderes devem se qualificar também — isso é imprescindível.

Com a participação de todos, fica mais fácil levar adiante as ações voltadas ao aprimoramento de habilidades específicas. Cada departamento requer de seus membros determinadas qualidades e os gestores devem trabalhar para oferecer oportunidades de aprendizagem e desenvolvimento que contemplem essas qualidades.

O setor de RH e os outros gestores não devem ficar presos a uma arquitetura que divide os colaboradores em atividades fixas. É importante considerar que muitas atividades aparecem com o desenvolvimento da tecnologia.

A ideia principal é conferir abertura ao upskilling (ou até ao reskilling), de modo que ele consiga aumentar as oportunidades de trabalho de cada funcionário, com as habilidades que ele pode aprimorar considerando as inovações tecnológicas.

 

Coloque a aprendizagem contínua como fator relevante

 

A empresa Willis Tower Watson defende a ideia de que as habilidades têm uma relevância cada vez mais crescente no mercado de trabalho. Então, é interessante que abordar a qualificação seja um hábito comum no processo de recrutamento e seleção, bem como nos contratos de trabalho.

Essa proposta pretende adotar upskilling como parte da cultura organizacional de maneira que seja útil na atração e retenção de talentos que estejam dispostos a se aprimorar por meio de aprendizagem contínua.

 

Conheça as vantagens do upskilling

 

Diante de tudo que falamos, percebe-se que realmente vale a pena investir tanto em qualificação quanto em requalificação. Muitas vantagens advêm do upskilling. Vejamos algumas delas:

  • o aumento da produtividade;
  • o desenvolvimento de qualidades sociais;
  • a redução no percentual de absenteísmo e turnover;
  • a otimização do clima no ambiente de trabalho;
  • a diminuição de gastos com sinistralidade;
  • a satisfação e a saúde dos funcionários;
  • a consolidação da imagem da empresa como uma organização que emprega muitos profissionais e retém talentos.

O upskilling é uma metodologia que se tornará mais efetiva quando integrar a cultura da empresa. A organização deve investir em desenvolvimento e treinamento para a qualificação dos colaboradores. Isso os tornará aptos a suprir as novas demandas decorrentes do desenvolvimento social e tecnológico.

O que pensa sobre esse tema? Bastante atual, não acha? Vale a pena interagir nas redes sociais e trocar ideias sobre o assunto. Basta nos seguir no Facebook, no Instagram e no LinkedIn!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *